quarta-feira, 17 de maio de 2017

10 momentos-chave do trailer de Star Trek: Discovery



Em primeiro lugar, é preciso dizer que a espera foi longa mas valeu a pena. O trailer de Star Trek: Discovery divulgado hoje no evento anual onde a CBS dá uma prévia sobre os novos programas e novas temporadas arrebatou a internet e já causou diversas polêmicas entre os fãs. Desde a incoerência da estética em relação ao período no tempo onde a história se desenrola (10 anos antes de Kirk, Spock e Enterprise), até o uso de lens flare que remetem ao universo de Star Trek reimaginado por JJ Abrams. Polêmicas à parte, vejamos alguns elementos interessantes que podemos identificar no trailer, que você pode ver aqui (sem legendas) e na versão menor da Netflix Brasil legendado em português aqui

O que importa é que as expectativas estão em velocidade de dobra! Depois de mais de uma década, Star Trek está acontecendo de novo no seu habitat natural, a TV. Está acontecendo! Está acontecendo! Veja alguns aspectos importantes que o blog pinçou no trailer lançado hoje.

Aparentemente, a missão começa nos limites do território da Federação. Com toda a sorte de problemas que isso pode trazer. Aliás, a temática de fronteiras parece estar em alta no universo de Star Trek, vide Star Trek Beyond. Mas não foi sempre sobre isso que Star Trek tratou? A Fronteira Final. Na cena, vemos Burnham emulando Spock em sua jornada V'Ger adentro...



A primeira-oficial Michael Burnam (Sonequa Martin-Green) aparentemente foi criada entre vulcanos, o que garante um conflito interno muito interessante, com grande potencial dramático. Além disso, vemos a perspectiva inversa de Spock, um vulcano (ao menos no aspecto cultural) em conflito com seu lado humano. Desta vez a personagem será uma humana em conflito com sua faceta vulcana. 

A pequena Burham entre vulcanos

Por falar nisso, talvez, a exemplo de Enterprise, os Vulcanos voltem a ter o protagonismo que não tiveram em TNG e DS9. Vida longa e próspera aos vulcanos e a Discovery!



Outro aspecto central da série e que salta aos olhos nas poucas (e boas) imagens que pudemos ver até agora é o protagonismo feminino, nas figuras da capitã Georgiou (Michelle Yeoh) e sua primeira-oficial Michael Burnham. As cenas entre as duas prometem alguns dos momentos altos de Discovery. Certamente, a nova encarnação de Star Trek será aprovada com louvor no Teste de Bechdel. Isso sem falarmos no fato de que a série será liderada por uma mulher negra e por uma mulher oriental. Representatividade importa!

Personagens femininas fortes no centro de Discovery
Klingons! Talvez os vilões mais queridos de Star Trek estão de volta, com tudo e com muito estilo (embora exista toda a problemática da sua aparência...). Uma das cenas mais impactantes do trailer mostra um klingon urrando voltado para cima, como costumam fazer estes nobres guerreiros quando um dos seus morre. 



O sárcofago klingon! Ele existe, ele é real, ele estará nas nossas telas daqui a poucos meses! Devemos lembrar daquelas primeiras artes conceituais (que foram criticadas pela maior parte dos trekkers) aparecidas há mais de um ano e que justamente indicavam esse flerte com a arte egípcia para a cultura klingon. Nunca esquecendo que as Aves-de-Rapina possuem elementos inspirados na arte do Egito Antigo.



De novo ela, a nossa "number one" mais querida de todos os tempos da última semana: Michael Burnham. Ela é badass e não tem medo de questionar as ordens de sua capitã. Veremos bons embates entre essas duas. Na verdade estou ansioso por isso! Nunca mais um reles secretário da capitã como foi Chakotay!

Burnham será uma primeira-oficial provocadora

O link com TOS estará presente em todo o momento. Afinal, a série é uma prequel imediatamente anterior aos eventos que amamos na série original. A tarefa de Discovery será entregar o espaço da Federação para Kirk, Spock e Enterprise. Estarão a altura desta tarefa? Veremos.




Novas espécies, novas culturas, novas civilizações. Outro papel importantíssimo de Discovery: abastecer fartamente o cânon de Star Trek com novos e maravilhosos aliens, sejam da Federação ou não. Mais uma vez vemos problemas à frente, já que criar espécies e eventos muito significativos sempre deixará o trekker pensando, como já fez ao assistir Enterprise: uou, tudo isso e nunca foi mencionado na série original? O risco de inverossimilhança é grande.




E por fim, mas não menos importante... Georgiou é a capitã da nave USS Shenzhou. Bom, talvez a nave seja destruída e a capitã assuma a novíssima USS Discovery...



Primeira imagem de Star Trek: Discovery indica protagonismo feminino na série

Capitã Georgiou e Primeira-Oficial Burnham


Em antecipação ao evento de hoje à tarde no qual a CBS dará uma prévia de seus próximos shows, foi divulgada a primeira imagem promocional de Star Trek: Discovery.

Na imagem aparecem a capitã Philippa Georgiou (Michelle Yeoh)  e a Primeira-Oficial Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) em uma paisagem desértica. 

Nos detalhes da imagem podemos ver um comunicador e um tricorder.

Comunicador e tricorder


De acordo com o EW a locação da imagem é ha Jordânia. 

É significativo o fato da primeira imagem trazer duas personagens femininas, um indício de que a série terá forte protagonismo das mulheres. 

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Lançado primeiro trailer de The Orville, série inspirada em Star Trek


Acho que todos os trekkers que já assistiram Family Guy sabem do amor que Seth MacFarlane tem por Star Trek.

Pois então, vejam QUANTOS ELEMENTOS da franquia ele está colocando em sua nova série The Orville, uma cómedia sci-fi que estreia em breve pela Fox.

O primeiro trailer foi divulgado hoje, e The Orville terá episódios dirigidos por figuras canônicas de Star Trek, tais como Jonathan Frakes, Brannon Braga e Robert Duncan McNeill.

Confira o divertidíssimo trailer de The Orville.




sexta-feira, 5 de maio de 2017

Clare McConnell fala sobre ser uma klingon em Star Trek: Discovery

Com informações de trekmovie.com



Na semana passada, quatro novos atores foram anunciados como parte do elenco de Star Trek: Discovery. E agora um deles está revelando aos poucos sobre o fato de obter um "emprego" como um klingon. Falando com o Metro de Toronto, a atriz canadense Clare McConnell disse que está "muito animada" por conseguir o papel da líder klingon Dennas e que está feliz por finalmente poder falar sobre isso, já que foi escalada para o papel em dezembro passado.

Ela também revelou que teve o apoio de um especialista para ajudá-la a falar klingon.

"Cada série é uma coisa tão clássica, mas também uma coisa tão inovadora", afirma McConnel. "Os atores são realmente encorajados a se apropriarem. Até fui encorajada a fazer da língua klingon a minha língua."

McConnell está, naturalmente, trabalhando sob as regras de sigilo que cercam o show e por isso não poderia dar qualquer detalhe sobre o seu personagem ou o enredo do Discovery, mas pôde descrever algumas coisas em geral, dando suas opiniões sobre os sets e naves: "Parecem incríveis", afirmou. E sobre seu traje klingon disse que é "muito legal". McConnell disse ainda que há uma atmosfera no set que faz todo mundo quer acertar, porque Star Trek é uma série muito amada.

Uma klingon cantando e tocando ukulele

Star Trek: Discovery é o grande sucesso de McConnell como seu primeiro papel na televisão. Ela só recentemente começou a atuar, com apenas dois créditos para seu nome até agora, incluindo o próximo filme independente Dim the Fluorescents. Uma coisa que sabemos sobre ela é que ela toca ukulele, como demonstra em seu canal no YouTube. 

Aqui ela está fazendo sua versão de Nicki Minaj "Anaconda".




sexta-feira, 28 de abril de 2017

Conheça os novos tripulantes de Star Trek: Discovery anunciados hoje



Star Trek: Discovery continua trazendo novos membros do elenco a bordo. As últimas novidades, reveladas hoje, incluem Shazad Latif, Rekha Sharma, Kenneth Mitchell, Clare McConnell e Damon Runyan.



Shazad Latif será o tenente Tyler, um oficial da Frota Estelar. Latif é conhecido por seu papel como Dr. Henry Jekyll na série de televisão Penny Dreadful. Latif foi originalmente anunciado no papel de Kol, agora interpretado por Kenneth Mitchell.



Rekha Sharma foi escalada como a Comandante Landry, a oficial de segurança da Discovery. Os créditos de televisão de Sharma incluem Battlestar Galactica e The 100.



Kenneth Mitchell retratará Kol, um oficial comandante no Império Klingon. Os créditos de televisão de Mitchell incluem Jericho, The Astronaut Wives Club e Frequency.



Clare McConnell entra em ação como Dennas, uma líder no Império Klingon. Os créditos cinematográficos de McConnell incluem Dim the Fluorescents, com lançamento programado para este semestre ainda.



E, lançado como Ujilli, um líder no Império Klingon, é Damon Runyan. Seus créditos na televisão incluem Suits, Supernatural e Gangland Undercover.

Fique ligado no Apenas um Trekker e acompanhe todas as novidades sobre Star Trek: Discovery.

sábado, 15 de abril de 2017

Hard Time: há 20 anos O'Brien sofria em um dos melhores episódios de DS9

Miles: "Paguei bondade com sangue"

Os episódios onde o Chief O'Brien passa por grandes provações são um clássico de DS9. Foram tantas histórias que levaram nosso querido Miles a situações extremas que até mesmo um nome para esse tipo de episódio foi criado, sendo conhecidos como "O'Brien must suffer!" (O'Brien deve sofrer).

Há exatos 20 anos, em 15 de abril de 1996, estreava Hard Time. Este é um dos meus episódios favoritos, não só de DS9, mas de toda a franquia Star Trek. É uma história poderosa, sobre a força das memórias em nossas vidas, sobre como a soma das nossas experiências constrói aquilo que somos. 

Na primeira cena vemos um Miles O'Brien envelhecido e maltrapilho, desenhando formas geométricas no chão de uma cela. Está sendo libertado após cumprir longa pena. "Eu não posso ir. Para onde eu iria?", questiona confuso. Na cena seguinte vemos O'Brien, ladeado pela major Kira, ser despertado após um tipo de procedimento. De fato, ele não cumpriu nenhuma pena. Experimentou uma realidade artificial, que implantou memórias de 20 anos no cárcere em sua mente. 

Miles desenha eseekas

Tudo começou quando em uma visita ao mundo dos argrathi Miles foi tido como um espião e condenado por espionagem. O sistema judicial do planeta não encarcera verdadeiramente os criminosos, mas incute em suas mentes as memórias de anos e anos na prisão, em apenas algumas horas. 

Hábitos podem se arraigar profundamente. No primeiro jantar em família após a "prisão", Miles, de maneira autômata, começar a guardar comida em um guardanapo, devido a escassez de alimentação que experimentou no cárcere. Igualmente, Keiko ao acordar no meio da noite e não encontrar o marido na cama acaba por descobri-lo deitado no chão, maneira que dormiu nos últimos 20 anos de sua memória.

Ee'Char

O'Brien tinha um companheiro de cela chamado Ee'Char, e começa a vê-lo pela estação. Este amigo foi a única companhia que teve em 20 anos. Foi a pessoa que lhe ensinou a fazer "eseekas", as formas geométricas que vemos Miles desenhando no início do episódio, como forma de limpar a mente. Porém, Miles não está conseguindo se readaptar à vida na estação. O sofrimento da cela ainda continua. Acaba por brigar com seu grande amigo Bashir, agride Quark, descontrola-se com Molly e recusa-se a visitar um conselheiro. Então ele conversa com Ee'Char, que está apenas dentro de sua cabeça, como um resquício das memórias da prisão. Ee'Char, que funciona como a representação do seu inconsciente, tenta ajudá-lo, tenta mostrar que Miles não está bem. A questão é que O'Brien matou seu companheiro de cela ao avaliar equivocadamente que ele escondia comida para si. "Paguei bondade com sangue", ele diz. 

O'Brien deseja morrer

Não suportando mais a pressão do retorno à vida na estação Miles O'Brien decide se matar com um fêiser. Uma das cenas mais sombrias de toda a franquia Star Trek. Então Bashir chega e tenta dissuadi-lo, conversando. Miles conta a história de seu amigo Ee'Char. Por fim, a memória de Ee'Char se desvanece e O'Brien aceita a ajuda de Bashir no tratamento da depressão que o acomete. Sem dúvida, este episódio é muito triste e marca uma das maiores sofrências de O'Brien.




domingo, 9 de abril de 2017

Before and After: um dos melhores episódios de Voyager completa 20 anos

Neste dia, há 20 anos, estreava nos EUA Before and After (3x21, 09/04/1997), o primeiro episódio de um dos arcos mais interessantes de Star Trek: Voyager. Alguns meses depois, em novembro, a trilogia seria completada com o episódio duplo Year of Hell (4x08, 05/11/1997 e 4x09, 12/11/1997). 

Em Before and After, vemos Kes, no final de sua vida, sofrendo saltos temporais em direção ao passado. No entanto, na linha de tempo na qual ocorrem estas viagens no tempo, a Voyager enfrentou durante um ano os ataques do Império Krenin, perdendo importantes tripulantes como Janeway e B'Elanna. Isto fica claro desde as cenas iniciais, quando nos deparamos com um Doutor um pouco diferente, ostentando vasta cabeleira e sendo agora conhecido como Dr. Van Gogh.

Doutor: com nome e cabelos
Kes, ao mesmo tempo em que salta no tempo, perdeu sua memória quase completamente, e não lembra de ter uma filha e um neto, frutos do casamento com Tom Paris. Este relacionamento só é possível nesta linha de tempo, já que o verdadeiro amor de Paris era B'Elanna. Com a morte desta devido aos acontecimentos que serão mostrados no episódio duplo Year of Hell, da próxima temporada, surge a relação com Kes. Já Andrew, seu neto, é filho de sua filha Linnis e Harry Kim. Ao mesmo tempo, podemos acompanhar com compaixão o estágio final da vida dos ocampas (espécie de Kes), onde ocorre rápido envelhecimento, conhecido como Morilogium.

Morilogium: a fase final da vida de um ocampa
Escrito por Kenneth Biller, responsável por mais de 30 roteiros de Voyager, o episódio guarda semelhanças com Parallels, de TNG, escrito por Brannon Braga, e que mostra Worf transitando por diferentes realidades paralelas. A estrutura, na qual o personagem que se desloca (no tempo, no caso de Kes), tem consciência das alterações ao redor as quais ninguém percebe e precisa convencer os outros sobre o que está acontecendo é idêntica. Contudo, em Before and After, a história serve de prenúncio para outros dois episódios que exploram a espécie Krenin.

Before and After e Parallels: estruturas semelhantes

Apesar de podermos considerar que os três episódios formam um arco, alguns problemas podem ser apontados nisto, pois existe falta de continuidade entre o Before and After e Year of Hell. O motivo para Kes experimentar os saltos temporais em direção ao passado é a contaminação que sofreu durante os ataques dos Krenin com seus torpedos cronitônicos, capazes de atravessar os escudos da nave por estarem em fluxo temporal. 

Year of Hell: continuação de Before and After

A partir desta descoberta, Kes trabalha com o restante da equipe da Voyager para eliminar os cronitons de seu organismo e assim deixar de viajar no tempo. Como consequência, Kes informa Janeway sobre o perigo de enfrentar os Krenin seis meses no futuro. Assim que consegue uma cura, Tuvok sugere que Kes faça um relatório explicando tudo que sabe a respeito dos Krenin. Portanto, a tripulação da Voyager, além de já conhecer a civilização Krenin também conhecia a frequência de 1,47 millissegundos dos torpedos, embora em Year of Hell ela será novamente descoberta pro Seven of Nine. Evidentemente, sempre se poderá alegar que as duas histórias transcorrem em linhas de tempo diferentes. Do ponto de vista da produção, a principal razão para estes problemas está na ausência de Kes nos episódios 2 e 3 do arco, pois a atriz Jennifer Lien havia saído de Voyager no início da quarta temporada.

Kes em sua jornada em direção ao nada

Before and After é um dos melhores episódios de Voyager e traz várias questões importantes, como  a discussão sobre a velhice e o fim da vida. A falta de memória de Kes, que não reconhece seus entes amados, faz referência ao mal de Alzheimer, que acomete muitas pessoas idosas. O episódio também mostra uma das mais belas cenas da história de Star Trek, quando Kes retrocede tanto no tempo que vemos o momento de seu nascimento e em seguida tornar-se um feto, algumas células, uma única célula e, por fim, o nada. Sem dúvida, um grande momento de Voyager, que completa 20 anos hoje. Que Star Trek: Discovery possa criar cenas incríveis como estas, que, literalmente, sobrevivem ao tempo.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

5 de abril: Dia do Primeiro Contato



Hoje é o dia em que todos os trekkers da galáxia celebram o Dia do Primeiro Contato. A data comemora o primeiro contato entre humanos e vulcanos, evento mostrado no filme Star Trek: First Contact (1996). 

No dia 5 de abril de 2063, Zefram Cochrane realizou um voo experimental com a Phoenix, a primeira espaçonave a atingir a velocidade de dobra, chamando a atenção de uma nave vulcana que conduzia pesquisas nas imediações do sistema solar. Assim, os vulcanos decidem aportar no planeta Terra, ocorrendo o contato inicial entre as duas espécies, fato que se situa nas origens da Frota Estelar e da Federação dos Planetas Unidos. 

O blog deseja um Feliz Dia do Primeiro Contato a todos, com votos de que a mensagem de esperança de Star Trek continue inspirando vossos corações e mentes.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Martin-Green fala sobre as novas perspectivas de Star Trek: Discovery

Sonequa Martin-Green será a Primeira Oficial Michael Burnham
Com informações de trekcore.com

Após ser nomeada pela CBS como a protagonista de Star Trek: Discovery, a atriz Sonequa Martin-Green compartilhou seus pensamentos sobre o papel de Michael Burnham. Confira alguns trechos da fala da atriz para a Vulture.

Martin-Green falou sobre sua série predileta dentro do universo de Star Trek:

Eu amo a série original. É a minha favorita de todas elas e eu adoro a dinâmica entre Kirk e Spock. Todos os personagens do programa tinham relacionamentos ricos.

Além disso, a atriz destacou a novidade da série partir do ponto de vista de uma primeira oficial:

Ser a primeira oficial da nave vai ser incrível pois não vimos isso acontecer antes no cânone de Star Trek, não vimos a história ser contada a partir da perspectiva do primeiro oficial. Vai abrir tanto potencial para novas histórias, porque não ser o capitão automaticamente lhe dá uma perspectiva diferente. Estou realmente animada.

E refletiu sobre a grande responsabilidade que estar em uma nova série de Star Trek lhe traz:

Definitivamente, há muita responsabilidade em liderar qualquer show e, obviamente, ser a liderança disso, de uma das mais populares, se não a mais popular série de TV de todos os tempos, você certamente pode se perder nisso se você se permitir. Isso é real? Oh, meu Deus... Espero que eu possa suportar o peso deste legado e desta história, porque eu quero fazer jus a eles. 

Ao despedir-se de TWD Sonequa fez o LLAP


Os membros do elenco já anunciados para Discovery incluem Jason Isaacs (Capitão Lorca), Michelle Yeoh (Capitã Georgiou), Chris Obi (T'Kuvma), Doug Jones (Ten. Saru), James Frain (Sarek), Shazad Latif (Kol), Anthony Rapp (Ten. Stamets), Sam Vartholomeos (Alferes Connor), Mary Wiseman (Cadete Tilly) e Mary Chieffo (L'Rell).

Star Trek: Discovery está sendo filmada em Toronto e deverá estrear em setembro.

Gretchen Berg, Aaron Harberts, Rod Roddenberry, Trevor Roth, Heather Kadin e Alex Kurtzman são os produtores executivos da série. Nicholas Meyer e Kirsten Beyer estão servindo como roteiristas e produtores de consultoria.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Sonequa Martin-Green é anunciada oficialmente em Star Trek: Discovery



Um dia após o último episódio da sétima temporada de The Walking Dead ir ao ar, Sonequa Martin-Green (Sasha) é anunciada como a protagonista de Star Trek Discovery.

Green fará a Primeira Oficial Michael Burnham. Como primeira polêmica, os fãs questionam se Michael pode ser usado como nome feminino, A princípio sim, vide o exemplo da atriz Michael Learned. Estamos monitorando se de fato o nome será este ou foi um erro da CBS.

No anúncio, a CBS afirmou que a atriz estava mudando de "walkers" para "klingons".

Em breve mais informações.